sábado, 31 de agosto de 2019

Sincretismo


SAUDANDO ESTE FINAL DE MÊS DE AGOSTO HOMENAGEANDO SÃO ROQUE E SÃO LAZARO,
QUE NOS OFEREÇA SAÚDE QUE O PLANETA TANTO NECESSITA.

Roque de Montpellier (c. 1295 – 1327) é um santo da Igreja Católica Romana, protetor contra a peste e padroeiro dos inválidos e cirurgiões. É também considerado por algumas comunidades católicas como protetor do gado contra doenças contagiosas. A sua popularidade, devido à intercessão contra a peste, é grande sendo padroeiro de múltiplas comunidades em todo o mundo católico e padroeiro de diversas profissões ligadas à medicina, ao tratamento de animais e dos seus produtos e aos cães. A sua festa celebra-se a 16 de agosto.
Obaluàyé é um termo iorubá que significa "rei e senhor da terra": Oba (rei) + Aiye (terra). Também é conhecido como Babá Igbona = pai da quentura). Outra corrente o define como: ObàluáyêObá - ilu; aiye; rei, dono, senhor da vida na terra; Omolu; Omo-ilu; rei, dono, senhor da vida. Obaluaye é identificado no jogo do merindilogun pelos odus IrosunOssáÊjilobon e representado materialmente e imaterial no candomblé através do assentamento sagrado denominado igba obaluaye.[5] É considerado a energia que rege as pestes como a varíola, SARAMPOcatapora e outras doenças de pele. Ele representa o ponto de contato do homem (físico) com o mundo (a terra). A interface pele/ar. No aspecto positivo, ele rege e cura, através da morte e do renascimento.[6]


Omolu é cultuado como o orixá residente no cemitério responsável pela triagem dos mortos. Normalmente, quando um elegun ou filho de santo o incorpora no terreiro, tem sua cabeça coberta por um pano da costa e m sinal de tradição e respeito, pois o orixá geralmente nunca mostra o rosto em razão de suas feridas, algo que é explicado pela sua mitologia.
(FONTE WIKPEDIA)

sexta-feira, 26 de julho de 2019

Nanã&Santa Ana - Sincretismo Religioso


Sobre Nanã comemorada hoje 26 de julho.

Nanã Buruku é cultuada no candomblé jeje como um vodun e, no candomblé queto, como um orixá da chuva, das águas paradas, manguepântano, terra molhada, lama e considerada a mãe dos orixás ObaluaiyêIrokoOsanyinOxumarê e Yewá.
Nanã é chamada carinhosamente de "Avó", por ser usualmente imaginada como uma anciã. É cultuada em todo o Brasil nas religiões afro-brasileiras. Seu emblema é o ibiri, que caracteriza sua relação com os espíritos ancestrais. Como "Mãe-Terra Primordial" dos grãos e dos mortos, Nanã Buruku poderia ser equiparada à Titã Gaia.

Referências

  1.  CARYBÉ. Mural dos orixás. Salvador. Banco da Bahia Investimentos S/A. 1979. p. 30.




Sobre Santa Ana comemorada 26 de julho

Sabe-se muito pouco sobre Santa Ana. Sabe-se que esta era mãe de Maria de Nazaré, esposa de São Joaquim e Avó de Jesus. Sabe-se também que esta teria após o nascimento da Virgem Maria tido mais uma ou duas filhas, pois Deus liberara após Joaquim ter ficado 40 dias no deserto. O nome dessas filhas são: Maria Salomé e Maria de Cleofas.

Histórico[editar | editar código-fonte]

Os dados biográficos que sabemos sobre os pais de Maria foram legados pelo Proto-Evangelho de Tiago, obra citada em diversos estudos dos padres da Igreja Oriental, como Epifânio e Gregório de Níssa.
Sant'Ana, cujo nome em hebraico significa graça, pertencia à família do sacerdote Aarão e seu marido, São Joaquim, pertencia à família real de Davi.

Santa Ana na Basílica de Nossa Senhora da Assunção do Mosteiro de São Bento na cidade de São Paulo, obra de Adrien Henri Vital van Emelen.
Seu marido, São Joaquim, homem pio fora censurado pelo sacerdote Rúben por não ter filhos. Mas Sant’Ana já era idosa e estéril. Confiando no poder divino, São Joaquim retirou-se ao deserto para rezar e fazer penitência. Ali um anjo do Senhor lhe apareceu, dizendo que Deus havia ouvido suas preces. Tendo voltado ao lar, os dois esposos encontram-se na Porta Dourada de Jerusalém,[1] e algum tempo depois Sant’Ana ficou grávida. A paciência e a resignação com que sofriam a esterilidade levaram-lhes ao prêmio de ter por filha aquela que havia de ser a Mãe de Jesus. Os autores medievais vêm no seu beijo casto no Encontro na Porta Dourada o momento da imaculada concepção de Maria. Segundo outras versões, preferidas pelos dominicanos e outros maculistas, não há nenhuma sugestão de que Maria tenha sido concebida de outra forma que não a biológica normal após a reencontro dos seus pais.[1]
Eram residentes em Jerusalém, ao lado da piscina de Betesda, onde hoje se ergue a Basílica de Santana; e aí, num sábado8 de setembro do ano 20 a.C., nasceu-lhes uma filha que recebeu o nome de Miriam, que em hebraico significa "Senhora da Luz", passado para o latim como Maria. Maria foi oferecida ao Templo de Jerusalém aos três anos, tendo lá permanecido até os doze anos.
Pelo texto Caverna dos Tesouros, atribuído a Efrém da Síria, Ana (Hannâ) era filha de Pâkôdh e seu marido se chamava Yônâkhîr.[2]Yônâkhîr e Jacó eram filhos de Matã e Sabhrath.[2] Jacó foi o pai de José, desta forma, José e Maria eram primos.[2]
São João Damasceno, ao escrever sobre o Natal, deixa claro que São Joaquim e Santa Ana são os pais de Maria.

Devoção[editar | editar código-fonte]


Santa Ana de Gil de Siloé
A devoção aos pais de Maria é muito antiga no Oriente, onde foram cultuados desde os primeiros séculos de nossa era, atingindo sua plenitude no século VI. Já no ocidente, o culto de Santana remonta ao século VIII, quando, no ano de 710, suas relíquias foram levadas da Terra Santa para Constantinopla, donde foram distribuídas para muitas igrejas do ocidente, estando a maior delas na igreja de Sant’Ana, em DürenRenâniaAlemanha.
Seu culto foi tornando-se muito popular na Idade Média, especialmente na Alemanha. Em 1378, o Papa Urbano IV oficializou seu culto . Em 1584, o Papa Gregório XIII fixou a data da festa de Sant’Ana em 26 de Julho, e o Papa Leão XIII a estendeu para toda a Igreja, em 1879. Em França, o culto da Mãe de Maria teve um impulso extraordinário depois das aparições da santa em Auray, em 1623.
Tendo sido São Joaquim comemorado, inicialmente, em dia diverso ao de Sant’Ana, o Papa Paulo VI associou num único dia, 26 de julho, a celebração dos pais de Maria, mãe de Jesus.

Fonte: Wikipedia

segunda-feira, 22 de julho de 2019

Maria de Magdala, Madalena.

Hoje simbolicamente comemoramos o dia de Magdala.
Querida Maria de Madalena, discípula do Mestre Jesus e seguidora dos seus passos,
no cristianismo.
Querida Magdala que os oferece a oportunidade de crescimento e nos orienta nesta caminhada terrena. 
Seu ensinamento nada mais é do que o AMOR, só ele nos fortalece, só ele nos encoraja, só ele nos mostra o caminho da generosidade, do perdão e desprendimento.
Vibremos AMOR, para toda a humanidade.
Gratidão Maria, Maria de Magdala.

domingo, 21 de julho de 2019

Reflexão

Deus é a minha força superior

Deus é a minha fonte de suprimento e estou integrado neste suprimento infinito.
Todas as minhas necessidades são prontamente atendidas, em todos os momentos e em todos os pontos do universo.
Manifesto abundância agora em todas as minhas atividades.
Sou entrada e saída da Mente de Deus.
Não tenho medo sou livre.
Proclamo e sinto o Espírito da prosperidade.
Sirvo a meus semelhantes com alegria e amor; 
atraio o nem pela lei imutável da atração.
Não há escassez, pois Deus é Fonte de tudo.
Sou governado a abastecido por Deus..
Levo todos os meus recipientes vazios ao Depósito infinito interior;
O Eu-Deus enche a todos; há um excedente Divino.
A Lei Divina responde a minha fé.
Minha fé e confiança se depositam em Deus e não há base melhor.






Esta é uma oração de autor desconhecido que ao orarmos nos colocamos como um ser de luz que somos neste universo terrestre em busca do nosso aprendizado.









sábado, 29 de junho de 2019

Sincretismo

São Pedro & Xangô

Simão era um pescador, que conheceu Jesus por meio de seu irmão André, e na ocasião disse-lhe que a partir de então não seria mais pescador de peixes, mas de homens. Mais tarde, durante o ministério de Jesus, o nome Simão foi trocado por Cefas/Kephas (traduzido como Pedro). O significado deste novo nome remetia diretamente à missão dada mais tarde a Pedro, o qual se tornaria a pedra (base) sobre a qual a Igreja de Cristo deveria ser construída.
Simão (Pedro) declarou: “Tu és Cristo, o filho de Deus”. Jesus disse: “Tu és Pedro, e sobre essa pedra edificarei minha igreja”. E assim conferiu-lhe as chaves do reino do céu. Assim como os outros apóstolos, Pedro teria o poder para unir e separar, mas só ele recebeu as chaves das portas do céu, e assim o poder de decidir quem é ou não merecedor de entrar no reino celeste. Venerado como o porteiro do céu, motivo pelo qual é invocado como padroeiro da longevidade. É também invocado como o santo responsável pelas trovoadas com raios e trovões.

Xangô é a divindade que rege o fogo, o trovão, os raios. Pode, através da sua justiça, dispensar favores, movendo favoravelmente ventos, raios, trovões para nos defender e para ganharmos causas. A sua Lei é como a rocha, dura, justa e “cega”… Portanto, deve-se bem antes de bater a mão, a cabeça e clamar por justiça, pois se a nossa demanda for justa ele nos amparará, mas, se não for, seremos chamados aos rigores de sua lei e o seu machado e seu raio de justiça nos cobrará o que devemos. Sendo assim, quando se sentir injustiçado, peça que Xangô lhe dê clareza e, se estiver certo, então que ele esclareça a outra parte. E se esta não ouvir, então não precisamos nem pedir, que a lei de ação e reação é implacável e a justiça de Xangô se cumprirá em nossas vidas.
(fonte wikipedia)

QUE A JUSTIÇA DE PEDRO&XANGÔ SEJA A LEI QUE NOS TRARÁ A PAZ QUE O MUNDO NECESSITA.


segunda-feira, 24 de junho de 2019

SÃO JOÃO - SINCRETISMO

No CristianismoSão João Evangelista ou Apóstolo João, foi um dos doze apóstolos de Jesus e além do Evangelho segundo João, também escreveu as três epístolas de João (12, e 3) e o livro do Apocalipse
João seria o mais novo dos 12 discípulos, tinha provavelmente cerca de vinte e quatro anos de idade à altura do seu chamado por Jesus. Consta que seria solteiro e vivia com os seus pais em Betsaida. Era pescador de profissão, consertava as redes de pesca. Trabalhava junto com seu irmão Tiago Maior, e em provável sociedade com André e Pedro.
De todos os doze apóstolos, João, o Apóstolo Amado e filho de Zebedeu, tornou-se o mais destacado teólogo, tendo morrido de morte natural, em Éfeso, no ano 103 d.C., quando tinha 94 anos. Segundo bispo Polícrates de Éfeso em 190 (atestada por Eusébio de Cesareia na sua História Eclesiástica, 5, 24), o Apóstolo "dormiu" (faleceu) em Éfeso. Contudo, conta-se que a tumba estava vazia quando foi aberta por Constantino para edificar-lhe uma igreja.
Na Umbanda - Caboclos
As entidades assim denominadas que se apresentam nos terreiros de umbanda são espíritos com um certo grau espiritual de evolução.
São considerados espíritos de índios que já morreram e que viraram guias de luz que voltam à Terra para prestar a caridade ao próximo. Ou almas de pessoas que assumiram a roupagem fluídica de caboclo como instrumento de ideal. São da Linha das Matas.
Apresentam-se altaneiros, dando o seu grito de guerra e gesticulando como se lançassem suas flechas. Normalmente seus conselhos visam a melhorar o ânimo dos mais necessitados. A imagem quase sempre condiz com a figura do bom selvagem romantizado, belo, puro, nobre e arrojado. São espíritos sérios e bastante contidos. 

Geralmente se utilizam de charutos para provocar a descarga espiritual de seu médium e também do seu consulente. 
Nas religiões afro-brasileiras cada orixá "corresponde" a um santo católico, mas, de fato, não se trata de um amálgama. As figuras não se confundam.
fonte(wikipédia livre)

quinta-feira, 13 de junho de 2019